Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

Quando a idade nos apanha!

PaperArtist_2015-01-20_15-34-24.jpeg

O sinal de que a idade já nos vai apanhado está na memória. Ainda me lembro de dizer com orgulho (há uns anos) que não precisava de escrever nada. De que me lembrava de tudo.


Chegava a comprar agendas e nunca as usava, tinham todas as páginas em branco até que me cansava de as carregar e as punha de lado. E perguntam vocês: Porque é que insistias em comprar, se já sabias que não ias usar? – Porque desde miúda que tenho uma paixão desmesurada por blocos e canetas e tenho de comprar todos. Vá-se lá entender!  


Pois é,  hoje, alguns anos passados e muitas noites mal dormidas, a verdade é que se não escrever não me lembro de nada. E por isso, este ano resolvi arranjar uma nova amiga: uma agenda gira gira gira só ela e que encontrei no site Rosa Com Canela. Até agora tenho-me portado bem. Escrevo todas as tarefas e tenho-as cumprido.  


 


Nunca fui tão produtiva na minha vida pessoal :)

Crónica de uma noite mal dormida

nightmare1.jpg

 Hoje a Ema teve o seu primeiro pesadelo ou terror noturno a sério, sendo que para estes últimos penso que ainda seja muito nova. A verdade é que por volta da 1:30 ela acordou a chorar. Normalmente não me levanto logo, já que ela normalmente volta a adormecer sozinha.


No entanto, como está doente fui logo, não fosse a febre ter voltado a subir. Quando lhe pego ao colo, ela normalmente acalma logo e encosta-se ao meu peito para dormir novamente, mas hoje…. hoje nada a sossegava. Cada choro era mais alto que o outro, a cada tentativa da acalmar, o berro atingia decibéis que pensava serem impossíveis a partir de um corpo tão pequeno. Quando finalmente consegui levantar o pai - que entre sugestões pouco práticas adormecia apesar dos berros mesmo ao lado dos seus ouvidos – para aquecer o leite, ela foi acalmando com a ajuda dos Caricas (acho que os vou promover a meus melhores amigos), mas quando ele chegou novamente, a berraria recomeçou.


Passado um bocado, a passear pela casa e a morrer de frio, ela lá resolveu pegar no biberão e depois de beber o leite atá ao fim, adormeceu ao nosso lado como se nada se tivesse passado. Eu é que claro, pouco descansada e sem perceber se era susto ou dor, acordei muitas vezes nas horas seguintes para ver se ela estava bem e sem febre.


Mãe sofre….*  


 


*mas vale a pena cada segundo, até os das noites mal dormidas