Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

As não heranças


Ao ler este artigo, encontrei esta que me aprece ser a frade chave: “o dinheiro suficiente para os fazer sentir que podem fazer qualquer coisa e não o suficiente que dê para sentirem que podem fazer nada” A única perceção que tinha desta realidade era a que me foi passada sempre pelo meu pai, que longe de ter grandes heranças materiais (que as imateriais, ainda hoje com 36 anos ele me dá) para me deixar, sempre disse se lhe saísse o euro milhões não me dava nada, pois não queria que eu me tornasse em alguém sem ambição e sem objetivos de vida. Pensava que seria uma atitude de alguém mais perto da nossa realidade, que tem de trabalhar todos os dias para pagar as suas dívidas. Não a imaginava na realidade desses bilionários, em que os ‘0’ nos saldos das suas contas se perdem de vista. Apraz-me pensar que apesar do dinheiro, preocupam-se com o futuro dos filhos, futuro esse que não passa apenas pelas questões materiais (que essas estariam garantidas), mas sim pelo seu crescimento como homens e mulheres que se têm de tornar uteis e construir as suas vidas (com uma boa ajuda inicial, que a maioria de nós não tem, é verdade), mas sem a papinha toda feita, para esbanjarem as heranças, tonando-se em pesos para a sociedade em vez de construtores da mesma. Reconheço que mesmo assim, me faz confusão que 10 milhões de dólares não sejam suficientes para passar o resto da vida à sombra da bananeira. Acho que bem geridos (isto é, não gastos à toa), eu conseguia viver perfeitamente com esse dinheiro e com uma vida mais desafogada do que a que tenho agora. Mas, comparados com os bilhões de dólares que os pais têm, não é na realidade muito. Surpreende-me também que os filhos concordem e aceitem tão bem estas regras. É sinal que foram educados com a cabeça no sítio e isso faz-me pensar que os pais, apesar do dinheiro que ganharam ao longo dos anos, não se deixaram deslumbrar e souberam manter os pés bem assentes na terra. Faz-me pensar que afinal são tão mortais como nós, apenas com muito mais dinheiro.

Coisas que me encanitam

Pedi um orçamento/informação para bolos no dia 20 de Agosto. Desde o inicio que referi as datas (terceira semana de Setembro). Telefonei e depois a pedido deles mandei mail com a descrição do que pedia (esta semana porque demoraram a responder a um mail anterior) e hoje, lembraram-se de dizer que não tinham disponibilidade para fazer um dos bolos. A sério? Não podiam ter dito logo isso?

É o que dá, quando as "marcas" ganham fama. Deixam de precisar tanto dos clientes e depois acabam por os perder, ou no meu caso, nem os ter.