Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

Serendipidade

(inglês serendipity) substantivo feminino 1. A faculdade ou o acto de descobrir coisas agradáveis por acaso. 2. Coisa descoberta por acaso.

Berço da Nação

 

O fim-de-semana começou com destino ao Porto para o jantar de despedida da cunhada que vai partir para novas aventuras em terras do tio Sam.
 
No dia seguinte e depois de um pequeno almoço farto no hotel, seguimos para Guimarães para dar início a mais uma comemoração de um aniversário. À chegada o céu mostrava-se cinzento e rápidamente o S. Pedro resolveu abençoar a comemoração com uma valente chuvada. No entanto, essa chuva não nos desanimou e lá partimos nós para conhecer o centro histórico da cidade munidos de chapéu de chuva. 
 
O centro histórico de Guimarães considerado hoje em dia património mundial da humanidade, foi o palco da Batalha de S. Mamede, cuja vitória de D. Afonso Henriques foi decisiva para garantir a independência do condado Portucalense.
 
 


Ao passar pelas várias ruas do centro histórico, é possível ver como o tradicional se mistura com moderno nas montras de artesanato, que pretendem conquistar os gostos variados dos turistas que por ali passeiam.


 
 
Ao aproximar-nos do final do centro histórico podemos encontrar no chão referências às diversas portas que serviam de entrada para antiga cidade de Guimarães. Depois da porta da vila é possível encontrar uma escultura de D. Afonso Henriques, da autoria de João Cutileiro.
 
 
A cada esquina que passamos encontramos referências religiosas, sejam na forma de igrejas, ou mais original ainda, na forma de altares ao ar livre, bem cuidados e inseridos  de forma aparentemente aleatória, no meio dos edifícios.
 
 
 
 
 
Como já é experiência no Norte do país, as refeições são deliciosas e fartas. Ao almoço, já mais perto da hora do lanche, optámos por uma tábua de queijos e enchidos e mais uns petiscos. Para o jantar, fomos  ao restaurante Histórico by Papaboa e saímos de lá a abarrotar, depois de nos batermos com um bacalhau com broa e tornedó com migas e arroz.  
 
 
 
 
No domingo de manhã e já sem chuva saímos para visitar o Paço dos Duques, cosntruído por D. Afonso, 1.º duque de Bragança. Deste paço lembro-me da descrição das tapeçarias e interiores feita no livro "Uma aventura entre Douro e Minho" que li na minha infância. Neste livro, os protagonistas meteram-se em sarilhos ao serem acusados de roubar exactamente uma dessas tapeçarias. 
 
 
 
 
Ao escrever este post, descobri que Guimarães foi eleita pelo NY Times no início do ano, como um dos 41 sítios a visitar em 2011, por ser um ponto cultural emergente da península ibérica. Nesta curta passagem não deu para ter essa percepção, mas deu sim para perceber que apesar de pequena, Guimarães tem muitas coisas bonitas e interessantes para ver e uma vida nocturna animada, com a Praça de Santiago cheia de jovens apesar da chuva que insistia em cair. Gostei muito!
 
Publicado a 29.03.2011 no meu ex-blog: Olhar a minha volta

1 comentário

Comentar post